segunda-feira, 23 de maio de 2016

Sérgio Machado não gravou apenas Romero Jucá. O ex-presidente da Transpetro, registrou também áudios de Renan Calheiros e José Sarney.


Sérgio Machado não gravou apenas Romero Jucá. O ex-presidente da Transpetro, registrou também áudios de Renan Calheiros e José Sarney.
Nestes dois casos os registros foram feitos em conversas privadas que Machado teve com cada um dos dois, separadamente.
Quem teve acesso aos áudios diz que o que foi revelado hoje em relação a Jucá "não é nada" comparado ao que Renan e Sarney disseram. 
As gravações foram feitas no âmbito da delação premiada que Sérgio Machado está negociando com a Procuradoria-Geral da República desde março. O acordo com a PGR foi selado na semana passada.
Na delação, Machado gravou apenas três políticos: o responsável pela sua indicação para a Transpetro (Renan), Sarney e Jucá. Mas comprometeu outros senadores do PMDB. São eles Jáder Barbalho e Edison Lobão.

A delação de Machado está na mesa do ministro Teori Zavascki, esperando homologação. 
FONTE:http://blogs.oglobo.globo.com/lauro-jardim/post/sergio-machado-gravou-tambem-sarney-e-renan-saiba-os-detalhes-da-delacao-do-ex-presidente-da-transpetroi.html

Confissão do Braço direito de TEMER


Com a divulgação pela Folha de S. Paulo de gravações de diálogo entre o atual ministro do Planejamento, Romero Jucá - um dos principais aliados de Temer no processo que o levou ao poder interino -, com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, sobre um possível "pacto nacional" para barrar as investigações da Operação Lava Jato, o presidente nacional do PMDB se viu em maus lençóis. E não foi a primeira vez que isso aconteceu.
"Tem que resolver essa porra. Tem que mudar o governo para estancar essa sangria", diz Jucá em um trecho da gravação de março passado, segundo a Folha. Ele fala também em um pacto nacional "com o Supremo, com tudo. (...) Delimitava onde está, pronto", em suposta referência às investigações.
Em entrevista coletiva nesta segunda-feira após a divulgação do áudio, Jucá disse que se referia "à sangria da economia", e não à operação anticorrupção na Petrobras, e que "sempre apoiou e defendeu" a Lava Jato.
"Quero repelir a interpretação feita pela Folha de S. Paulo. (...) Eu falava em estancar a paralisia do Brasil, estancar a sangria do desemprego, separar (os políticos) que têm culpa dos que não têm culpa", disse Jucá, negando que pretenda renunciar. "Reafirmo meu compromisso no Ministério do Planejamento e vou exercer (o cargo) enquanto entender que tenho a confiança do presidente."
Homem forte de Temer, Jucá sempre foi um dos nomes certos para o ministério do presidente interino. Ainda assim, o anúncio dele para a pasta do Planejamento foi um dos mais criticados, já que o peemedebista é um dos investigados pela Lava Jato.
Jucá é citado mais de uma vez como uma das pessoas que supostamente recebeu propina no esquema de corrupção da Petrobras. Ricardo Pessoa, empreiteiro da UTC Engenharia, afirmou em delação que o peemedebista teria pedido R$ 1,5 milhão à empresa em doação para a campanha eleitoral de 2014, em que seu filho era candidato a vice-governador de Roraima.
A doação teria vindo em forma de propina pela contratação da UTC para a construção da usina nuclear Angra 3.
Há um inquérito em curso para investigar a participação do senador no escândalo - algo que ele nega veementemente. "Não tenho nenhum temor em ser investigado", reafirmou Jucá na coletiva desta desta segunda. "Se tivesse telhado de vidro não teria assumido a presidência do PMDB. (...) Considero a Lava Jato uma mudança positiva na política brasileira, tanto que no Senado votei pela recondução (do procurador-geral da República) Rodrigo Janot e acho que o Ministério Público Federal deve ter autonomia para investigar."
Mas Jucá não é alvo somente da Lava Jato. O senador é suspeito de ter participado também do esquema de corrupção investigado na operação Zelotes, que investiga aparentes interferências em julgamentos realizados no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), beneficiando empresas endividadas com o Fisco.
Uma das delações de um ex-servidor da Receita Federal, João Gruginski, inclui a informação de que o lobista Alexandre Paes dos Santos teria mencionado um pagamento a Jucá e outros políticos, que seria relacionado a um esquema de venda de medidas provisórias favoráveis aos interesses de montadoras de veículos.
O pagamento total seria de R$ 45 milhões, dos quais R$ 15 milhões seriam para "RJ", a sigla que designava Romero Jucá. O senador, porém, nega a participação no esquema - mas ainda é investigado por ele em inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).
Acusações passadas
Antes de seu partido romper com o PT em março deste ano, Romero Jucá foi um dos grandes aliados do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e também de Dilma Rousseff.
Em 2005, inclusive, chegou a ser nomeado ministro da Previdência Social de Lula, mas não ficou muito tempo no cargo. Após quatro meses, o senador deixou a pasta devido ao desgaste causado pelas acusações de que teria oferecido ao Banco da Amazônia (Basa) fazendas inexistentes como garantia de empréstimo feito pelo banco à empresa Frangonorte em 1996 - da qual Jucá foi sócio entre 1994 e o final de 1996.
O ministro disse à época que as denúncias eram "levianas" e atribuiu as informações às disputas políticas no Estado de Roraima.

Em 2008, a Procuradora-Geral da União arquivou o caso, apesar de ter identificado irregularidades, porque ele já havia prescrito.
Confissão do Braço direito de TEMER

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Meirelles corta promessa de Temer pela metade. E vai cortar de novo, aguarde

Michel Temer disse ontem que a reforma da Previdência não afetaria direitos adquiridos.
Insere-se no capítulo “Rolando Lero”  de sua fala, até porque não poderia afetar, legalmente. Coisa que qualquer acadêmico de direito sabe.
Hoje, Henrique Meirelles já começou a tirar o dourado da pílula.
Vai ter, como é óbvio, idade mínima.
Ah, mas é com regra de transição.
Alô, já tem.
O fator 95/85 vai transitar, progressivamente, para 100/90.
O que dá 60 anos para um homem que começa a trabalhar aos 20, se não falhar um mês.
Isso já tem.
Idade mínima que desconsidere tempo de serviço é castigo aos mais pobres, que começam a trabalhar mais cedo.
E é isso o que virá, podem escrever.
O “mercado” quer corte já na Previdência.
O que mais disse Temer? Que não haveria aumento de impostos, não é?
E hoje Meirelles disse que ia cortar as isenções tributárias.
Talvez Temer – que, segundo  O Globo, sempre teve dificuldades com a matemática – não entenda que, quando se tem de pagar um imposto que não se pagava ou se pagava com desconto, é o mesmo que pagar mais imposto?
Com a Dilma, era pagar o pato.
Agora é “bondade”.
Meirelles, com Lula, tinha limites.
Agora, quem tem limites é Temer, que não tem força para dizer não ao seu Ministro da Fazenda.
Se disser: “ah, isso eu não quero, Henrique”, vai ouvir: “não quer, mas vai, Michel”.
É preciso fazer um curso de hipocrisia para entender a política brasileira.http://www.tijolaco.com.br/blog/meirelles-corta-promessa-de-temer-pela-metade-e-vai-cortar-de-novo-aguarde/

Fim da liberdade de expressão! Projeto de lei prevê punição dura a quem falar mal de políticos na internet!

Fim da liberdade de expressão!
Projeto de lei prevê punição dura a quem falar mal de políticos na internet, projeto prevê até 6 anos de cadeia !

http://g1.globo.com/globo-news/estudio-i/videos/v/projeto-de-lei-preve-punicao-dura-a-quem-falar-mal-de-politicos-na-internet/4494215/

quinta-feira, 12 de maio de 2016

PGR investiga Beto Richa por três crimes em campanha eleitoral


A Procuradoria Geral da República (PGR) investiga o governador Beto Richa (PSDB) pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. O G1 teve acesso ao pedido de abertura de investigação feito ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), no qual a PGR lista elementos que apontam para a suspeita de que a campanha à reeleição de Richa recebeu recursos com origem em esquema de corrupção na Receita Estadual.
O governador emitiu nota em que nega as irregularidades e que confia na Justiça (Leia abaixo).
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) autorizou na sexta (11) a abertura de inquérito para investigar suposto envolvimento do governador com o esquema de corrupção. Foi concedido prazo de 20 dias para a PGR concluir a investigação dos fatos que foram descobertos pela Operação Publicano.
O esquema apurado pelo Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) consistia na cobrança de propina por auditores fiscais da Receita Estadual em Londrina. Eles exigiam valores de empresários para não fiscalizar o recolhimento de impostos e não cobrar multas. Quase 200 pessoas já foram denunciadas.
Ao longo das investigações, o auditor fiscal Luiz Antônio de Souza afirmou que parte do dinheiro desviado abasteceu os cofres da campanha à reeleição do tucano em 2014. Ele firmou acordo de delação premiada.
O pedido, segundo Luiz Antônio de Souza, foi feito pelo delegado Márcio Albuquerque de Lima, que foi apontado pelo Gaeco como chefe do esquema de corrupção – ele era companheiro de corridas do governador. Lima foi o responsável, segundo o delator, por entregar dinheiro ao empresário Luiz Abi Antoun, que é parente de Beto Richa.
Para a vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, há “elementos que apontam para a prática pelo governador Carlos Alberto Richa do crime de corrupção passiva, em razão da solicitação, por intermédio de Luiz Abi Antoun, de vantagem econômica indevida de empresários locais para arrecadar dinheiro para uso na sua campanha eleitoral”.
Segundo Luiz Antônio de Souza, era Luiz Abi Antoun “quem efetivamente mandava” na Receita Estadual do Paraná, sendo responsável pelas indicações aos cargos de alto escalão.
Ainda segundo o delator, o dinheiro desviado da Receita Estadual também serviu para comprar material para a campanha do governador. Foram compradas divisórias de madeira usadas no comitê eleitoral de Richa em Londrina no valor de R$ 15 mil. Uma nota fiscal anexada pela PGR revela que o endereço de entrega do material comprado por Souza era do comitê do PSDB em Londrina.
As declarações remetem ao suposto emprego de valores expressivos, obtidos ilegalmente, na campanha de 2014 destinada à reeleição do Governador Carlos Alberto Richa e pode desvelar a conduta de falsear a verdade no que se refere à declaração contida na prestação de contas do então candidato"
Ela Wiecko, vice-procuradora-geral da República
“Como se verifica, trata-se, a princípio, de indícios do uso de mecanismo que permitiu a ocultação da origem ilícita do recurso utilizado na aquisição de material destinado ao comitê de campanha do governador Carlos Alberto Richa, dando-lhe, assim, aparência lícita”, afirmou a vice-procuradora-geral, apontando indícios do crime de lavagem de dinheiro.
Souza ainda afirmou que havia metas de arrecadação de propina para financiar a campanha de Beto Richa. Segundo o delator, a Delegacia de Londrina era responsável por arrecadar R$ 1 milhão, mas foram arrecadados R$ 800 mil. Havia ainda a previsão de que a delegacia da Receita em Curitiba arrecadasse R$ 2 milhões, e de que as demais delegacias do estado juntassem mais R$ 1,5 milhão. A soma, segundo o delator, chegou a R$ 4,3 milhões.
O delator ainda narrou os casos de duas empresas que pagaram propina para não serem fiscalizadas, e em que o dinheiro arrecadado foi direcionado também para a campanha do governador. Em um desses casos, o valor acertado foi de R$ 800 mil.
“As declarações remetem ao suposto emprego de valores expressivos, obtidos ilegalmente, na campanha de 2014 destinada à reeleição do Governador Carlos Alberto Richa e pode desvelar a conduta de falsear a verdade no que se refere à declaração contida na prestação de contas do então candidato. Neste contexto, faz-se necessário investigar a prática do crime de falsidade ideológica para fins eleitorais”, afirmou Ela Wiecko.
No pedido de abertura de investigação a PGR informa que pretende, para apurar o caso, analisar a íntegra da prestação de contas da campanha de Richa; as notas fiscais emitidas pelas empresas que forneceram material para o comitê do PSDB em Londrina; os documentos obtidos com quebras de sigilo bancário e fiscal, além das apreensões feitas contra Luiz Abi Antoun e Márcio Albuquerque de Lima.
A procuradora ainda quer ouvir Luiz Antônio de Souza, Luiz Abi Antoun, Márcio Albuquerque de Lima, além de funcionários públicos, empresários e pessoas ligadas à campanha.
Outro lado
Em nota, o governador reafirmou que não tem nada a temer. Disse que todas as doações recebidas pela campanha foram legais e declaradas à Justiça, e não houve qualquer contribuição de origem ilícita ou, principalmente, oriunda de desvios de conduta de fiscais da Receita Estadual. Afirmou, por fim, que é o maior interessado no esclarecimento completo dos fatos e que confia na Justiça.
O PSDB reafirmou a legalidade das doações, e lembrou que não há qualquer questionamento pendente nas contas da campanha.
O advogado Douglas Maranhão, que representa Márcio Albuquerque de Lima, informou que não iria se manifestar sobre o caso.
Roberto Brzezinski, que representa Luiz Abi Antoun, afirmou que não teve acesso aos autos e não se manifestaria.
O advogado do delator Luís Antonio de Souza disse que o cliente confirmou, não apenas na delação, mas diante do juiz, todos os termos dos depoimentos da delação. FONTE http://g1.globo.com/pr/parana/operacao-publicano/noticia/2016/03/pgr-investiga-beto-richa-psdb-por-tres-crimes-em-campanha-eleitoral.html

É EM SÃO PAULO? NÃO! NO PARANÁ!




Equipe de Temer estuda rever reajustes acertados com os servidores públicos



O grupo que assessora a formação do provável governo Temer estuda rever o reajuste salarial negociado com a equipe de Dilma Rousseff no ano passado, por conta do impacto nas contas. Mas já esbarra na resistência do funcionalismo público, que ameaça entrar em greve para manter os acordos. A revisão do reajuste, que seria uma forma de reduzir o rombo das contas públicas em 2016 e 2017, colocou várias categorias de alerta.

Antes mesmo de o vice assumir, o sindicalismo público prepara uma ofensiva no Congresso Nacional para impedir que os projetos com os reajustes negociados no ano passado não sejam honrados pela nova equipe.

O custo do reajuste da folha de pagamento dos servidores públicos do Executivo está estimado em R$ 5,313 bilhões para este ano, segundo o Ministério do Planejamento. Nesse valor estão incluídos R$ 4,229 bilhões das categorias que já fizeram acordo com o governo e devem ter os salários reajustados em 5,5% a partir de agosto, caso os projetos sejam aprovados pelos parlamentares.

Outro R$ 1,084 bilhão é a estimativa para os acordos firmados neste ano com os funcionários da Advocacia-Geral da União, médicos peritos do INSS, servidores da Receita Federal e auditores do Trabalho. O Planejamento também incluiu nessa projeção as negociações ainda em aberto, com o mesmo porcentual de reajuste de 5,5% a partir de agosto.

O corte no reajuste desse pessoal seria uma saída da nova equipe econômica para amenizar o rombo que pode chegar a R$ 96,6 bilhões em 2016. Os seis projetos encaminhados por Dilma no final de dezembro de 2015 ainda estão em tramitação no Congresso. Pelos projetos, o reajuste salarial para mais de 40 categorias terá impacto total de R$ 32,2 bilhões até 2019.

Os sindicalistas já procuraram o senador Romero Jucá (PMDB-RR), que deve ocupar o Ministério do Planejamento. Eles já avisaram que vão reivindicar de todas as formas que os compromissos assumidos com o governo sejam cumpridos.

"Fizemos acordo com o Estado brasileiro, independentemente do governo que esteja de plantão", diz Sérgio Ronaldo, da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), ligada à Central Única dos Trabalhadores (CUT), que representa 80% dos funcionários do Executivo. Segundo ele, está prevista para a próxima semana uma caravana de sindicalistas às lideranças da Câmara e ao presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Além do reajuste dado ao chamado "carreirão" (que reúne a maior parte do funcionalismo), de 10,8% em dois anos, também foi fechado o acordo com as carreiras típicas de Estado, com aumento de 27,9%, divididos em quatro anos.    FONTE.EM.com

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Vereador é preso com cocaína e apanha de garota de programa em Curitiba



   O vereador Nicodemos Ferreira dos Santos (PMDB), do município de Mauá da Serra, Norte do Paraná,      foi preso em Curitiba na madrugada desta quarta-feira (11), com duas buchas de cocaína. Nicodemos,        de 52 anos, assinou um termo circunstanciado e foi liberado. Ele disse aos repórteres que a droga não        era dele.
Na saída da delegacia, o parlamentar foi perseguido por cinegrafistas e repórteres e tentou se esconder em uma casa noturna. Ele foi agredido por uma suposta garota de programa. Depois de correr por várias quadras, o vereador conseguiu se livrar dos repórteres. O Paraná Portal procurou a assessoria do vereador que não atendeu às ligações. fonte portal paraná

Argentina tem 1,4 milhão de novos pobres desde que a direita (Macri) assumiu o governo!


Isso é o que a direita faz a um país: Argentina!
Isso é o que os golpistas estão querendo fazer com o Brasil!
"Macri faz seu primeiro grande ajuste: 300% de aumento na conta de luz! Macri conclui tarifaço com alta do gás residencial, água e combustíveis!Na Argentina o combustível acumula aumento de 31% desde dezembro, quando Macri assumiu como presidente. Governo Macri dobra o preço do transporte na Argentina!Estado argentino encolhe com demissão de 11.000 funcionários! Destruição de emprego, um problema cada vez maior na Argentina: relatório de uma consultoria fala de 100.000 demissões,"





Movimentos sociais ocuparam o prédio da Câmara Municipal de Maringá,



Movimentos sociais ocuparam o prédio da Câmara Municipal de Maringá, no Noroeste do Paraná. A sessão teve que ser suspensa, pois os vereadores saíram em disparada para a rua.
A manifestação foi organizada pela Frente Brasil Popular de Maringá, MST, CUT, UNÉ, UPE, UBES, UPES, UMÊS, PT, JPT, PCdoB, Coletivo Paratodos , Coletivo Kizomba, dentre outras entidades.
Após a transformação da Câmara em “sessão popular”, por volta das 20h30 os cerca de 120 militantes deixaram o local.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Operação da PF inclui mandados em Campo Grande e Maringá!

foto Maringá Manchete
A Polícia Federal, em conjunto com a Controladoria Geral da União e a Receita Federal, deflagrou hoje a segunda fase da Operação Lama Asfáltica, denominada Fazendas de Lama, em Campo Grande (MS), São Paulo e Paraná, inclusive Maringá, onde uma equipe da PF encontra-se na Construtora Sanches Tripoloni.
O objetivo dessa nova fase é apurar procedimentos utilizados pelos investigados na aquisição de propriedades rurais com recursos públicos desviados de contratos de obras públicas, fraudes em licitações e recebimento de propinas, resultando também em crimes de lavagem de dinheiro.A organização criminosa especializada em desviar recursos públicos, inclusive federais, atua no ramo de pavimentação de rodovias, construções e prestação de serviços nas áreas de informática e gráfica. Os contratos sob investigação envolvem mais de R$ 2 bilhões.
Cerca de 200 policiais federais, 28 servidores da Controladoria Geral da União e 44 da Receita Federal dão cumprimento a 28 mandados de busca e apreensão e a 15 mandados de prisão temporária, nos municípios de Campo Grande, Rio Negro (MS), Curitiba, Maringá, Presidente Prudente e Tanabi (SP). Também são cumpridos 24 mandados de sequestro de bens de investigados.
Um dos mandados foi cumprido no apartamento do ex-governador André Pucinelli (PMDB).
Durante a primeira fase da operação, cujas investigações iniciaram-se em 2013, foi constatada a existência de um grupo que, por meio de empresas em nome próprio e de terceiros, superfaturaram obras contratadas com a Administração Pública. A organização atuava mediante a prática de corrupção de servidores públicos e fraudes em licitações, ocasionando desvios de recursos públicos.
Nesta segunda fase, Fazendas de Lama, após a análise dos materiais apreendidos na primeira, por meio de fiscalizações realizadas pela CGU e Relatórios da Receita Federal, verificou-se fortes indícios da prática dos crimes de lavagem de dinheiro. Constatou-se que esses crimes inclusive eram decorrentes de desvio de recursos públicos federais e provenientes de corrupção passiva, com a utilização de mecanismos para ocultação de tais valores, como aquisição de bens em nome de terceiros e saques em espécie.
Os presos serão encaminhados à Superintendência da PF, em Campo Grande, bem como os materiais objetos das buscas e apreensões.
Será concedida entrevista coletiva, às 10h, no auditório da Superintendência Regional da PF em Campo Grande
A Construtora Sanches Tripoloni, a maior doadora do Partido da República até 2011 (o partido controlava o Ministério dos Transportes e o Dnit), é responsável pela BR-359, a reforma da BR-060, MS-422 e a MS-223, que somadas lhe renderam mais de R$ 136 milhões, além do asfalto na MS-112, totalizando R$ 63 milhões. A empreeiteira construiu o Contorno Norte de Maringá na gestão Silvio Barros II (PP).

Porque esta faltando merenda nas Escolas Estaduais de Sarandi-PR?



Porque esta faltando merenda? Escolas Estaduais de Sarandi-PR já se encontram sem merenda a quase uma semana!
Será que o Governo Richa copiará o Governo Alkimin?

Veja esta matéria sobre falta de merenda também em maringá Pr

Esta foi a forma encontrada pela direção do Colégio Estadual Instituto de Educação  para alertar a todos sobre a falta de merenda na instituição educacional em Maringá.

O cartaz descreve sobre a falta de alimentos desde o mês passado e demonstra claramente o racionamento, o fato não é um caso isolado em Maringá. Outros colégios estaduais sofrem do mesmo problema, como por exemplo; o Branca da Mota Fernandes, localizado na av Tuiuti, Zona Norte da cidade.
A falta de gestão e preocupação do Governo Beto Richa com a educação no Paraná é lastimável, ao final quem sofre sempre é a população que necessita dos serviços públicos. fonte Maringá Manchete



quarta-feira, 4 de maio de 2016

Não passarão! Nazistas, fascistas e racistas!

Para entendermos como tudo pode desabar para as profundezas da escuridão, e só olhar um passado recente para termos um exemplo de como as coisas podem mudar com um passe de magica, quando o fundamentalismo religioso e a direita dominam a política impõe seus conceitos, e a classe mais atacada á a  trabalhadora e isso fica evidente! Os patriotas sem pátria com suas mansões em Miami e suas contas em paraísos fiscais, vestem verde e amarelo para cobrir o sangue e o suor (brasil ame-o ou deixe-o slogan da ditadura) ! Foi assim com o nazismo, fascismo e racismo, veja algumas fotos para refrescar nossas memorias! 
   


Linchamentos legalizados no Sul dos EUA.

 Dentre as primeiras vítimas da matança nazista na Alemanha foram os opositores  políticos de Hitler, principalmente os comunistas, os socialistas, os democratas e líderes sindicais. 

A fuga dos regimes fundamentalista esbarra num sistema opressor e de direita na Europa!

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Normalmente em ano eleitoral a prefeitura lembra dos bairros e fazem aqueles reparos mal feitos só pra enganar o eleitor, certo?

Normalmente em ano eleitoral a prefeitura lembra dos bairros e fazem aqueles reparos mal feitos só pra enganar o eleitor, certo? Errado, a prefeitura de Sarandi não se meche nem em ano eleitoral. 
Só lembrando somos cidadãos e eleitores.
Jardim Novo Aliança, Bairro abandonado pela prefeitura e suas secretarias. Moradora do jardim Nova Aliança Adrielly Michelin


sexta-feira, 29 de abril de 2016

“Gostaria de expressar meu apoio a liberdade de imprensa e a Democracia, que é exatamente o que não está acontecendo no Brasil nesse momento. Sou contra o Golpe”

 


“Gostaria de expressar meu apoio a liberdade de imprensa e a Democracia, que é exatamente o que não está acontecendo no Brasil nesse momento. Sou contra o Golpe”
Maurício é hoje um dos mais reconhecidos fotojornalistas em atuação. Ganhou o Prêmio Pulitzer 2016 – dado aos melhores trabalhos jornalísticos e literários do mundo – pela cobertura dos refugiados na Europa e no Oriente Médio, além do World Press Photo e o Picture of The Year America Latina, que o considerou o melhor fotografo em 2015 pela documentação da Ucrânia e dos protestos no Brasil.




http://www.revistaforum.com.br/2016/04/29/brasileiro-vencedor-do-pulitzer-denuncia-golpe-e-rede-globo-durante-premiacao/

Essa proposta é um crime contra 22 milhões de aposentados urbanos e rurais que conquistaram dignidade a partir dessa vinculação”,

Leia Mais:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,grupo-de-temer-avalia-desvincular-beneficios-do-minimo,10000028069
Assine o Estadão All Digital + Impresso todos os dias
Siga @Estadao no TwitterLeia Mais:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,grupo-de-temer-avalia-desvincular-beneficios-do-minimo,10000028069

Para evitar alta de impostos, Temer avalia desvincular  benefícios do mínimo 

Para escapar de uma alta inevitável de impostos neste primeiro Momento o grupo que apoia o vice-presidente Michel Temer vai insistir na proposta de desvincular benefícios --incluindo os da Previdência-- dos reajustes concedidos ao salário mínimo. 

A aprovação dessa medida, impopular, mas necessária, segundo conselheiros do vice, seria possível graças a uma "onda" receptiva do Congresso às propostas de um eventual governo Temer para solucionar a crise Brasileira.

A ideia é acabar também com as vinculações constitucionais, como gastos obrigatórios com Saúde e educação, que engessam o Orçamento federal. Estadão 


 “Essa proposta é um crime contra 22 milhões de aposentados urbanos e rurais que conquistaram dignidade a partir dessa vinculação”, afirmou  Rossetto fonte-congressoemfoco.uol.com.br/noticias/proposta-discutida-por-temer-e-“crime”-contra-aposentados-diz-ministro/

“tudo” o que for possível deve ser concedido ou privatizado: “E AÍ, VAMOS PARA AS RUAS QUANDO?




BRASÍLIA — O documento que servirá de base a um eventual governo Michel Temer, e que deve ser divulgado na próxima semana, afirma que, na infraestrutura, “tudo” o que for possível deve ser concedido ou privatizado: “O Estado deve transferir para o setor privado tudo o que for possível em matéria de infraestrutura. Quanto às competências que reservará para si, é indispensável que suas relações com contratantes privados sejam reguladas por uma legislação nova, inclusive por uma nova lei de licitações. É necessário um novo começo das relações do Estado com as empresas privadas que lhe prestam serviços”, diz trecho do documento.Fonte o globo

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Senado aprova projeto que inclui artes visuais, dança e teatro em disciplina da educação básica



O Senado aprovou projeto que prevê a inclusão obrigatória de conteúdos na disciplina de Artes do ensino básico de escolas públicas e privadas de todo país. Os conteúdos incluídos no currículo da disciplina deverão ser artes visuais, dança e teatro.
A nova regra altera a Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional. Ela já havia sido aprovada pela Câmara dos Deputados e segue agora para sansão presidencial.
Conforme projeto, as escolas terão prazo de cinco anos para implantar as mudanças propostas. Esse período servirá para que os sistemas de ensino promovam formação adequada de profissionais em número correspondente.
A educação básica abrangem três etapas: educação infantil (crianças até 5 anos), educação fundamental (alunos entre 06 a 14 anos) e ensino médio (alunos entre 15 a 17 anos).

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Stephen Hawking diz que se cairmos em um buraco negro, iriamos para outro universo.


Embora os físicos tenham assumido que toda a matéria deve ser destruída pelas enormes forças gravitacionais de um buraco negro, Hawking disse aos delegados na Suécia há uma possibilidade de escapar e até viajar para outra dimensão.
A-Teoria-dos-Muitos-Mundos1
“Se cair em um buraco negro, não se renda”, disse Hawking em uma entrevista coletiva em Estocolmo, na Suécia. “Há uma saída.”
Hawking afirmou ainda que se o buraco fosse suficiente grande e estivesse girando, poderia ter uma passagem a um universo alternativo. O famoso cientista considera que os objetos podem acabar armazenados sobre os limites de um buraco negro, região conhecida como horizonte de eventos. São as fronteiras do espaço a partir das quais supostamente nenhuma partícula pode sair, incluindo a luz.

xxx
Seria uma viagem ‘sem volta’
À medida que fosse se aproximando do buraco, a diferença de gravidade entre seus pés e a cabeça aumentaria cada vez mais, e em algum momento você se partiria em dois. E logo essa força de maré, como se denomina essa atração, desgarraria cada célula, molécula e átomo de seu corpo.
De toda maneira, para verificar o que ocorre em um buraco negro você provavelmente teria que viajar ao interior de um deles.
E o próprio Hawking não é candidato a essa jornada.
“(Após entrar em um buraco negro) Não poderia voltar ao nosso universo, de modo que, ainda que esteja interessado em viajar ao espaço, não vou tentar”

maxresdefault


Ok. Ótimo, agora não precisamos nos preocupar se seremos engolidos por algum mega Buraco Negro do Universo, afinal ou a Terra ficaria eternamente presa num vórtice energético ou a humanidade escaparia para um outro universo, numa outra galáxia, com uma outra rota gravitacional, com leis físicas completamente diferentes! SENSACIONAL!
http://momentocurioso.com.br/buraco_negro/