quarta-feira, 10 de setembro de 2014

1,7 milhão votaram por Constituinte pela internet. Ainda faltam as urnas


Como Secretaria Operativa Nacional da nossa Campanha, em nome de mais de 450 organizações participantes e 1800 Comitês Populares, queremos saudar os milhões de Brasileiros e Brasileiras que participaram do Plebiscito Popular dando o seu voto em Urnas Físicas ou pela Internet.
Também queremos saudar e parabenizar os milhares de militantes e ativistas voluntários que, em todos os rincões do nosso imenso Brasil, do Oiapoque ao Chuí, construíram com muita dedicação, força, coragem e alegria o Plebiscito Popular pela Constituinte.
Se dedicaram desde o Lançamento Nacional – em Novembro de 2013 -, na construção de Lançamentos Estaduais, Cursos de Formação de Ativistas, Organização de Comitês Populares, Ações Públicas nos Dias de Luta, até chegar a tão esperada Semana da Pátria, em que se instalaram mais de 40.000 urnas por todo o país, e todos trabalharam em mutirão para conversar com a população sobre as necessárias mudanças do sistema político e os rumos do nosso país.
Com o trabalho de todos estes ativistas, nossa Campanha pela “Constituinte Já” ocupou as ruas, as praças, escolas, fábricas, universidades, paróquias, povoados, assentamentos rurais, sindicatos, e na era da internet, também ocupamos as redes sociais, com fotos, memes, hashtags e muita criatividade. Envolvemos artistas, intelectuais, lideranças sindicais e populares. Pressionamos os candidatos às eleições a se posicionarem sobre o tema, especialmente os presidenciáveis.
Assim, conseguimos ampla repercussão, apesar do “muro de silêncio”, propositalmente montado pela grande mídia, o que só reforça a nossa posição pela democratização dos meios de comunicação no Brasil.
Os próximos dias ainda serão de grande trabalho, nos quais os Comitês Populares estão mobilizados em contabilizar os votos em urnas “físicas”. No entanto, já divulgaremos o resultado da Votação pela Internet (OnLine), tivemos a participação de 1.744.872 pessoas em todo o país, destas 96, 9% (1.691.006) votaram SIM à Constituinte do Sistema Político, e 3,1% (53.866) votaram NÃO.
O resultado final da votação será divulgado no dia 24 de Setembro, em Coletiva de Imprensa (em breve enviaremos mais informações).Em seguida,  ainda sem data definida, entregaremos os resultados do Plebiscito Popular aos três poderes: Presidência da República (Executivo), Congresso Nacional (Legislativo) e Supremo Tribunal Federal (Judiciário), como forma de pressionar, especialmente o Congresso, por um Plebiscito Oficial com o mesmo tema do Plebiscito Popular.
Embora não tenhamos os números finais, podemos afirmar que a batalha foi vitoriosa. Sabemos que a conquista de uma Constituinte para fazer a Reforma Política, e destravar as reformas estruturais que a nação necessita, não será tarefa fácil, mas seguiremos organizados e mobilizados para levar esta bandeira adiante nos próximos períodos.
Acreditamos, sem a menor sombra de dúvida, que todo este processo de mobilização se coloca entre um dos maiores e mais importantes realizados em unidade entre o movimento popular, sindical e da juventude. Estamos confiantes que a força social e política demonstrada no Plebiscito Popular será preservada e ampliada no próximo período e nos garantirá a vitória!





terça-feira, 9 de setembro de 2014

Depois dos milhões de voto pela Constituinte para a reforma política, o que fazer?


Depois dos milhões de voto pela Constituinte para a reforma política, o que fazer?

Preparar a entrega em Brasília dos resultados, aumentar a pressão para dar a voz ao povo
Os relatos vindos de diferentes pontos do país, a boa receptividade encontrada na população nos pontos de coleta de votos deve traduzir-se em milhões de cidadãos a favor da mudança do atual sistema político, controlado pelo poder econômico e com regras antidemocráticas evidentes.
O entusiasmo de jovens, trabalhadores do campo e da cidade, ao votar em urnas volantes, em sindicatos e associações, em assentamentos e locais de concentração popular, levou a que vários dirigentes políticos e candidatos às eleições de outubro assumissem claramente o apoio à Constituinte para fazer a reforma política.
É o caso da própria presidente Dilma, que em carreata feita com Lula em São Bernardo (SP), anunciou, segundo a Carta Capital (02/09), seu apoio ao Plebiscito e afirmou: “Pela importância da reforma política, por tudo o que ela carrega, pelo fato de ser necessário uma transformação de todas as instituições, a participação popular é uma questão fundamental. Sem ela não se fará reforma política no Brasil”. Na ocasião Dilma disse que vai inclusive votar no Plebiscito Popular no dia 7 de setembro.
Antes da presidente, Alexandre Padilha, candidato pelo PT ao governo de São Paulo, no debate da Band (23/08) havia defendido o Plebiscito Popular e Lula, no ato com sindicalistas realizado no ginásio da Portuguesa em São Paulo, defendeu uma Constituinte exclusiva e soberana para a reforma política em sua fala.
Decreto legislativo é articulado
Por incrível que pareça, a atual Constituição impede que a presidência da República convoque plebiscitos ou referendos. Ela fixa como prerrogativa do Congresso nacional (Câmara ou Senado) a apresentação de decreto legislativo que estabeleça uma consulta ao povo.

Em 2 de setembro, ocorreu um Ato na Câmara dos deputados em Brasília, chamado por parlamentares petistas, em favor do Plebiscito Popular Constituinte. Renato Simões (SP), um de seus articuladores, disse na ocasião: “Esse ‘não me representa’ que ouvimos nas manifestações de rua em junho de 2013 continua clamando por uma resposta. E a resposta está sendo dada pela sociedade civil através desse plebiscito. Esperamos milhões de votos em todo o Brasil para que o Congresso Nacional se sensibilize e convoque um plebiscito oficial que garanta a efetividade da decisão popular”.
O líder do PT na Câmara, Vicentinho (SP) falou que: “Já está claro que com esse Parlamento como está não vamos para frente. Enquanto não acabarmos com o financiamento privado das campanhas, que é fonte de corrupção, não teremos um Parlamento comprometido com o povo, mas, sim, com o poder econômico”.  Já José Guimarães (PT-CE) disse que “não tem reforma política sem cheiro do povo, assim como não existe democracia sem a participação popular”. Após o Ato, urnas foram instaladas na Câmara para a coleta de votos de parlamentares, servidores e visitantes até a sexta, 5 de setembro.
Organizar a entrega em Brasília
A secretaria operativa nacional do Plebiscito Constituinte já começou a discutir a entrega de seus resultados, cuja previsão é que sejam totalizados até 21 de setembro. Essa entrega, com participação de delegações de entidades e comitês espalhados por todo o Brasil, deve se dar entre o 1º e o 2º turno das eleições presidenciais (entre 5 e 26 de outubro), de modo a garantir ampla participação.
Formalmente os resultados serão entregues aos três poderes, Congresso, STF e presidência da República, mas sabemos todos que o decisivo será a atitude de Dilma de assumir a proposta de um Plebiscito oficial pela Constituinte, orientando sua base parlamentar a endossar o decreto legislativo preparado por deputados petistas.
O movimento sindical e popular brasileiro, que jogou suas forças no Plebiscito Popular, demonstrou uma vez mais que a pressão vinda e organizada desde baixo é a única que pode arrancar resultados favoráveis a que a voz do povo seja ouvida e respeitada.
Agora é atingir as metas de votação fixadas e preparar uma grande manifestação em Brasília em meados de outubro.
Julio Turra
(texto originalmente publicado em Jornal O Trabalho ed 754: otrabalho.org.br)


https://constituintecomiteparis.wordpress.com/2014/09/09/julio-turra-depois-dos-milhoes-de-voto-pela-constituinte-para-a-reforma-politica-o-que-fazer/

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A possível extinção do Estado de Israel


Criá-lo foi ato desumano de colonialismo. Extinto como Estado judaico, pode dar lugar a país plurinacional e secular, onde judeus e palestinos convivam pacífica e dignamente
por Boaventura de Sousa Santos — publicado 26/08/2014 19:06, última modificação 27/08/2014 11:40

Podem simples cidadãos de todo o mundo organizar-se para propor em todas as instâncias de jurisdição universal possíveis uma ação popular contra o Estado de Israel no sentido de ser declarada a sua extinção, enquanto Estado judaico, não apenas por ao longo da sua existência ter cometido reiteradamente crimes contra a humanidade, mas sobretudo por a sua própria constituição, enquanto Estado judaico, constituir um crime contra a humanidade? Podem. E como este tipo de crime não prescreve, estão a tempo de o fazer. Eis os argumentos e as soluções para restituir aos judeus e palestinos e ao mundo em geral a dignidade que lhes foi roubada por um dos atos mais violentos do colonialismo europeu no século XX, secundado pelo imperialismo norte-americano e pela má consciência europeia desde o fim da segunda guerra mundial.
O termo sionismo designa o movimento que apoia o “regresso” dos judeus à sua suposta pátria de que também supostamente foram expulsos no século V AC. Há, no entanto, que distinguir entre sionismo judaico e sionismo cristão. O sionismo judaico tem origem no antissemitismo que desgraçadamente sempre perseguiu os judeus na Europa e que viria a culminar no holocausto nazi. O sonho de Theodor Herzl, judeu austríaco e grande poponente do sionismo, era a criação, não de um Estado judaico, mas de uma pátria segura para os judeus. O sionismo cristão, por sua vez, é antissemita, e a ideia de um Estado judaico deveu-se a políticos britânicos, sionistas e anglicanos devotos, como Lord Shaftesbury, que, acima de tudo, [1]desejavam ver o seu país livre dos judeus-enquanto-judeus. Eram tolerados os judeus cristianizados (como Benjamin Disraeli, que chegou a ser Primeiro Ministro), mas só esses. Esta tolerância estava de acordo com a profecia cristã de que é destino dos judeus converterem-se ao cristianismo. O mesmo sentimento se encontra hoje entre os evangélicos norte-americanos, que apoiam Israel como Estado judaico, bem como a sua desapiedada expansão colonialista contra os palestinos, por acreditarem que a redenção total ocorrerá no fim dos tempos, com a conversão dos judeus na Parusia (o regresso de Jesus Cristo).
Terá sido Lord Shaftesbury quem, ainda no século XIX, formulou o pensamento “uma terra sem povo para um povo sem terra” que ajudaria mais tarde a justificar a criação do Estado de Israel na Palestina em 1948. E alguns anos mais tarde, foi outro sionista não judeu (Arthur James Balfour) quem propôs a criação de “uma pátria para os judeus” na Palestina, sem consultar os povos árabes que habitavam esse território há mais de mil anos.
“Os Grandes Poderes” (Áustria, Rússia, França, Inglaterra), lê-se no Memorandum Balfour de 11 de Agosto de 1919, “estão comprometidos com o Sionismo. E o Sionismo, correto ou incorreto, bom ou mau, tem as suas raízes em antiquíssimas tradições, em necessidades atuais e em esperanças futuras, que são bem mais importantes do que os desejos de 700.000 árabes que neste momento habitam aquele antigo território”. Urgia, pois, transformar esses árabes em um não-povo. Em 1948, com o beneplácito dos poderes ocidentais, especialmente da Inglaterra, foi criado o Estado de Israel numa Palestina povoada de árabes e 10% de judeus imigrantes.
Argumentava-se então que havia de se encontrar um espaço para o povo judeu, que ninguém queria receber depois do genocídio alemão. Muito antes dessa catástrofe, os sionistas judeus tinham já pensado em vários locais para[2] o seu futuro Estado. No final do século XIX, a região do Uganda, no que é hoje o Quénia, então colónia inglesa, foi ponderada como um possível local para o futuro Estado de Israel. Um espaço na Argentina chegou também a ser considerado. Mais tarde, auscultado sobre um local no norte de África (no que é hoje a Líbia), o rei da Itália, Victor Emmanuel, terá recusado, respondendo: “Ma è ancora casa di altri”. Mas nenhum europeu, por mais preocupado com a situação dos judeus, jamais pensou num lugar dentro da própria Europa. Havia que inventar-se “uma terra sem povo para um povo sem terra”. Mesmo que fosse necessário obliterar um povo. E assim se vem paulatinamente eliminando um povo da face da terra desde há sessenta e seis anos. A Cisjordânia palestiniana vem sendo desmantelada pelos colonatos ilegais e a Faixa de Gaza transformada em prisão a céu aberto. A extrema-direita israelita é apenas mais estridente do que o governo ao reclamar que os “árabes fedorentos de Gaza sejam lançados ao mar”. O que é espantoso, comenta o historiador judeu israelita, Ilan Pappé em The Ethnic Cleansing of Palestine (2006), é ver como os judeus, em 1948, há tão pouco tempo expulsos das suas casas, espoliados dos seus pertences e por fim exterminados, procederam sem pestanejar à destruição de aldeias palestinianas, com expulsão dos seus habitantes e massacre daqueles que se recusaram a sair. O controverso comentário de José Saramago de há alguns anos de que o espírito de Auschwitz se reproduz em Israel faz hoje mais do que nunca.
Assim foi sacrificada a Palestina, invocadas razões bíblicas e históricas, que a Bíblia não sanciona e a história viria a desmistificar. Muitos judeus, como os que constituem a Jewish Voice for Peace, não são sionistas e consideram que o Estado de Israel, nas condições em que foi criado (um território, um povo, uma língua, uma religião) é uma arcaica aberração [3] colonialista fundada no mito de uma “terra de Israel” e de um “povo judaico”, que a Bíblia nem sequer confirma. Como bem demonstra, entre outros, o historiador judeu israelita, Shlomo Sand, a Palestina como a “terra de Israel” é uma invenção recente (The Invention of the Land of Israel, 2012). Aliás, ainda segundo o mesmo autor, também o conceito de “povo judaico” é uma invenção recente (The Invention of the Jewish People, 2009).
A criação do Estado judaico de Israel configura um crime continuado cujos abismos mais desumanos se revelam nos dias de hoje. Declarada a sua extinção, os cidadãos do mundo propõem a criação na Palestina de um Estado secular, plurinacional e intercultural, onde judeus e palestinos possam viver pacifica e dignamente. A dignidade do mundo está hoje hipotecada à dignidade da convivência entre palestinos e judeus.
http://outraspalavras.net/destaques/a-possivel-extincao-do-estado-de-israel/
AQUI
Por Boaventura de Sousa Santos * é sociólogo e professor da Faculdade de Economia da Universidahttp://outraspalavras.net/destaques/a-possivel-extincao-do-estado-de-israel/de de Coimbra — publicado 26/08/2014

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Sarandi não deve ser Lixão da região! vamos nos u...

Sarandi não deve ser Lixão da região! vamos nos unir novamente!

Nós lutamos num passado recente para Sarandi não receber lixo de Maringá e região e entre os manifestantes estava De Paula. 
Que hoje é noticiado na imprensa de Maringá que o mesmo é um dos apoiadores deste absurdo!
Não vamos ficar calados diante desta vergonha contra a população e meio ambiente, isso se deve a ganancia pelo lucro!!
Não esquecendo que sempre colocam coincidentemente estes absurdos em discussão as vésperas de uma eleição!
Porque será?
 veja matéria do Rigon Depaula quer lixo em Sarandi!

veja foto do ato na frente do lixão de sarandi 2010
Blog do Bianco: Sarandi não deve ser Lixão da região! vamos nos u...:

É desolador ouvir amigos queridos falando da criatura como se fosse uma pessoa séria!

Religiosidade fundamentalista, elitista, oportunista, falsa inclinação ecológica. Faz parte de associação declarada com banqueiros e empresários que lesam em milhões os cofres públicos e não pagam seus impostos, o que é crime, logo, associação com criminosos. É desolador ouvir amigos queridos falando da criatura como se fosse uma pessoa séria. Já se ergueu sobre o cadáver de um grande lutador e ativista, e repete o mesmo sobre outro cadáver. Quem?

Para aqueles que não acreditam no terrorismo lançado pela mídia!

Para iniciar o diálogo com aqueles que não acreditam no terrorismo lançado pela mídia, que se alimentou da ditatura e agora defende as multinacionais e especulação internacional deste sistema apodrecido que só tem a nos oferecer, guerras, crises, arrochos e a barbárie! 
Este vídeo mostra bem o que são estes representantes da barbárie!
Mentiras calúnias e desespero!
Não seja um micuim que andam grudados na cabeça da mídia!


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Urna fixa em Sarandi votação do Plebiscito Popular pela convovação de uma Assembleia Constituinte e exclusiva

Urna fixa do SISMUS a votação do Plebiscito Popular pela convovação de uma Assembleia Constituinte e exclusiva para fazer a reforma política.Vote você tambem! Vote sim pela Constituinte!
( praça Ipiranga 185-centro de Sarndi-Pr)



quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Prefeitura confessa: privatizar custa muito mais caro!



Em entrevista ao Paraná TV, a administração municipal de Maringá reconheceu o que o vereador Humberto Henrique (PT) já havia denunciado. Transferir a coleta de lixo para a iniciativa privada custa muito mais caro para a população.

Depois de encerrar o contrato com a Secretaria de Estado da Justiça, que mantinha 60 presos do regime semiaberto na coleta de lixo da cidade, a Prefeitura anunciou que contrataria uma empresa em caráter emergencial para atender a demanda do serviço.

Agora, quase um mês depois, o discurso mudou. A Prefeitura admitiu que o custo é “um tanto elevado para o município” e
 vai convocar novos coletores aprovadores em concurso público.

Solução
A declaração confirma a denúncia do vereador Humberto de que a privatização proposta pela Prefeitura, além de mais cara, poderá causar o aumento nos impostos e taxas no próximo ano. Segundo a reportagem, a coleta emergencial custaria cerca de R$ 300 mil por mês.

Humberto defende que o município faça investimentos para realizar a coleta seletiva em toda a cidade, estruturando as cooperativas de materiais recicláveis. Para o restante dos resíduos, o vereador propõe investimento em equipamentos e melhoria do salário dos coletores.

Com todas estas medidas, ele afirma que o custo final será mais barato e eficiente do que contratar empresa privada para administrar o serviço.


Gelinton Batista / Assessoria de Imprensa HUMBERTO HENRIQUE

Operação de venda de energia causou prejuízo estimado de R$ 660 milhões à Copel.



 O empresário Donato Gulin, dono da Tradener, teria feito uma espécie de “delação premiada” ao senador Roberto Requião (PMDB) ao entregar o funcionamento de todo o esquema. Ao mesmo tempo em que deixou “escapar” essa soma da estatal, Richa travou durante meses guerra política para conseguir empréstimos junto ao governo federal e bancos internacionais. Será que o reajuste médio de 25% na tarifa dos consumidores residenciais e industriais seria para cobrir esse rombo na empresa de todos os paranaenses?  
continue lendo http://www.esmaelmorais.com.br/2014/08/bomba-copel-teve-prejuizo-de-r-660-mi-com-atravessadores-de-energia/

Repercusão nacional da prisão de um gerente, por ter criticado policial na rede social!


A Folha.com publicou há pouco mais de uma hora em seu site uma reportagem sobre a prisão do gerente de uma empresa de Sarandi, na última sexta-feira, por causa de um comentário no Facebook contra uma blitz da Polícia Militar. A prisão tem indícios de ilegalidade e teria sido feita por policiais a paisana, que chegaram a algemar o rapaz. Por causa da matéria, no final da tarde de hoje o comandante do 4 BPM divulgou nota informando que uma sindicância foi aberta para apurar as circunstâncias da ação policial. Tudo indica que, por causa da aparente arbitrariedade da polícia do governo Beto richa, o trabalhador poderá receber acionar o estado, pedindo indenização por perdas e danos. Fonte ‘Folha’ destaca prisão em Sarandi By ANGELO RIGON | 
http://angelorigon.com.br/2014/08/25/folha-destaca-prisao-em-sarandi/

A posição do sindicato a que pertence Chico Mendes sobre as declarações da candidata Marina Silva:

Diante da declaração da candidata à Presidência da República para as próximas eleições, Marina Silva, onde esta coloca o companheiro Chico Mendes junto a representantes da elite nacional, o Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Xapuri (Acre), legítimo representante do legado classista do companheiro Chico, vem a público manifestar-se nos seguintes termos:
Primeiramente, o companheiro Chico foi um sindicalista e não ambientalista, isso o coloca num ponto específico da luta de classes que compreendia a união dos Povos Tradicionais (Extrativistas, Indígenas, Ribeirinhos) contra a expansão pecuária e madeireira e a conseqüente devastação da Floresta. Essa visão distorcida do Chico Mendes Ambientalista foi levada para o Brasil e a outros países como forma de desqualificar e descaracterizar a classe trabalhadora do campo e fortalecer a temática capitalista ambiental que surgia.
Em segundo, os trabalhadores rurais da base territorial do Sindicato de Xapuri (Acre), não concordam com a atual política ambiental em curso no Brasil idealizada pela candidata Marina Silva enquanto Ministra do Meio Ambiente, refém de um modelo santuarista e de grandes Ong’s internacionais. Essa política prejudica a manutenção da cultura tradicional de manejo da floresta e a subsistência, e favorece empresários que, devido ao alto grau de burocratização, conseguem legalmente devastar, enquanto os habitantes das florestas cometem crimes ambientais.
Terceiro, os candidatos que compareceram ao debate estão claramente vinculados com o agronegócio e pouco preocupados com a Reforma Agrária e Conflitos Fundiários que se espalham pelo Brasil, tanto isso é verdade, que o assunto foi tratado de forma superficial. Até o momento, segundo dados da CPT, 23 lideranças camponesas foram assassinadas somente neste ano de 2014. Como também não adentraram na temática do genocídio dos povos indígenas em situação alarmante e de repercussão internacional.
Por fim, os pontos elencados, são os legados do companheiro Chico Mendes: Reforma Agrária que garanta a cultura e produção dos Trabalhadores Tradicionais e a União dos Povos da Floresta.
Xapuri, 27 de agosto de 2014
José Alves – Presidente
Waldemir Soares – Assessor Jurídico
(postado por Maria Maria)

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Por perversidade moral de posição dos Estados Unidos em Gaza é impressionante "Pink Floyd Roger Waters"


Rosa Floyd Roger Waters: Por perversidade moral de posição dos Estados Unidos em Gaza é impressionante
A carnificina em Gaza continua após o último colapso das negociações de cessar-fogo e ao longo de quatro semanas de bombardeio assimétrico por Israel. Com a morte de mais de 2.000 palestinos, eo deslocamento de centenas de milhares mais, a cumplicidade do governo americano foi exposta ao mundo como nunca antes. No entanto, o mantra repetido ad nauseam pelo governo dos EUA e da mídia igualmente permanece a mesma: Israel tem o direito de se defender.
A perversidade moral da posição dos EUA é impressionante. Como pode o governo dos EUA pedir  Israel para ter mais cuidado com a vida de civis, ao mesmo tempo armar e rearmar o IDF para que ele possa de forma mais eficaz infligir tanta devastação em um povo preso  e ocupados? CONTINUE LENDO ttp://www.salon.com/2014/08/25/pink_floyds_roger_waters_why_moral_perversity_of_u_s_position_in_gaza_is_stunning/

terça-feira, 26 de agosto de 2014

A prisão de Clodoaldo e as perguntas (ainda) sem respostas


Clodoaldo Lima foi detido na tarde da última sexta-feira (22) em Sarandi. Foi algemado e levado num camburão da Polícia Militar (PM) para a delegacia de Polícia Civil da cidade. Bandido de alta periculosidade? Assassino? Maníaco sexual? Traficante? Político ficha suja? Sonegador de impostos? continue lendo http://www.daminhajanela.sarandionline.com/a-prisao-de-clodoaldo-e-as-perguntas-ainda-sem-respostas/ 

Veja matéria sobre a prisão http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2014/08/homem-e-preso-depois-de-criticar-abordagem-da-pm-no-facebook.html


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Asfalto do Jardim Bom Pastor Sarandi-Pr !

 Na reunião foi informado aos moradores pela prefeitura que as obras de tubulaçãoiniciarão esta semana!
Estamos acompanhando essa luta, e os prazos prometidos pelo prefeito!

 

Uso indevido do dinheiro do povo!

Cargo de confiança do prefeito de Sarandi estaria usando o celular público para festa particular

Click e veja no Link abaixo
Usando celular do municipio para vender ingresso de festa!

Secretaria de saúde de Sarandi-PR a Acessibilidade é .....................


Esse é o caminho para se chegar a secretaria de saúde de Sarandi, para quem já esta doente ou idoso subir essas escadas é um duro castigo.Realmente não entendo por que a administração não aluga outro prédio.Por falar nisso quanto será que custa esse aluguél?
 E o proprietário quem é? Nilson Presidente do SISMUS

Acessibilidade

De acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT NBR950), a Acessibilidade é definida como"a condição para utilização com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação por uma pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida".  
Entre os trabalhos desenvolvidos para a web, a acessibilidade refere-se principalmente às recomendações do W3C, consórcio entre empresas e órgãos governamentais e independentes que desenvolvem novos padrões de navegação e usos para a internet.
Neste contexto, o Portal do FNDE foi desenvolvido com o objetivo de contribuir com a ideia de um mundo sem obstáculos e oferecer seu conteúdo ao maior número de pessoas, independentemente de suas capacidades físico-motoras e perceptivas, culturais e sociais.
No menu superior, existem botões para aumentar e diminuir as fontes, assim como a possibilidade de mudar o tom das cores. Ou seja, as pessoas podem ler com mais facilidade e utilizar todo o site de forma mais confortável para a visão. Arquivos em áudio e vídeo também ajudam a tornar ainda mais prazerosa a navegação.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Vai vender a PETROBRAS e disse que vai gastar o valor da venda com educação e saúde, Já vi este filme antes.


E disse que vai gastar o valor da venda com educação e saúde, Já vi este filme antes. Quando dizemos que esta gente representa o passado tenebroso deste país não é atoa. FHC vendeu a preço de banana quase todas as empresas deste país só não vendeu Petrobrás, caixa e Banco do Brasil porque não deu tempo e disseram a mesma coisa pagar dividas e com isso sobrariam recursos para educação e saúde e no fim das contas o país que tinha uma dívida pública de 35% do BIB foi entregue para Lula com 60% do PIB e nada, rigorosamente, nada foi feito em prol da educação e saúde. Para ter uma ideia FHC proibiu por lei novas escolas técnicas e não fez uma única universidade Federal. Pois bem Lula pegou os destroços que sobrou do Brasil levou de volta a dívida para os 35% do PIB, derrubou a lei que proibia a construção de novas escolas técnica e de 114 que já existiam antes dos oito anos de FHC construiu nestes quase 12 anos mais de 300, portanto temos hoje mais de quatrocentas escolas técnicas e 18 novas universidades públicas, o PROUNI, cursos técnicos para atender a demanda industrial, como PRONATEC e incentivos para estados criarem programas de bolsas. Todos esses investimentos na educação a mídia panfletária de seus sócios da oposição lesa pátria esconde do povo, afinal isso não seria possível se este governo não tivesse passado de 1% para 5,8% do PIB com investimentos na educação. E mais vamos chegar em breve os investimentos com educação ao patamar de 10% do PIB, FHC que gastava só 1% vetou a lei que exigiria 7% do PIB para a educação, no entanto Dilma que já gasta 5,8% aprovou 10% do PIB. Em relação à Saúde, também houve aumento de quase o triplo dos gastos, descontando a inflação do período, pois FHC gastava em torno de 20 Bilhões e agora chegamos a 110 Bilhões em valores absolutos. É fácil entender porque a oposição não quer comparar, pois não da para comparar o incomparável e por isso escondem FHC e seu passado, FHC e seus colaboradores não eram nem para esta fazendo política, afinal teriam que serem punidos devido ao desmonte do Estado brasileiro. Dilma hoje para este país, sua reeleição é uma questão de segurança nacional. Dilma de novo com a força e alegria do povo Pedro Jacintho

A Pergunta é para o Conselho do FUNDEB e para a Secretária de Educação!



   Parece que o ano educacional acabou em Agosto. 
   Cortes de serviços, materiais e recursos humanos estão se fazendo evidentes em todos os setores da Educação . Isso é incompreensível, pois até um cidadão que não atua na area sabe que os recursos da Educação não podem ser destinados a outros setores.Sabemos ainda que esse recurso vem para os municípios com um cálculo padrão.
Onde está a previsão de gasto para educação de Sarandi,que provavelmente deve ter sido aprovado pelo Conselho do FUNDEB, e  pela Câmara de Vereadores? A administração desse recurso não está transparente e está mal fiscalizada.


Como anda a administração deste recurso, que é destinado para a educação?

terça-feira, 19 de agosto de 2014

HELICOPTERO PRESO COM QUASE MEIA TONELADA DE COCAINA É SOUTO, PARECE PIADA MAS NAO É!

AI PODE NÉ ENTENDI! 
O TRF 2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região), no Rio de Janeiro, reformulou decisão de primeira instância e determinou a devolução para a família do senador Zezé Perrella (PDT-MG) do helicóptero apreendido com 443 quilos de cocaína, em novembro do ano passado, no Espírito Santo.
A decisão contrariou parecer do Ministério Público Federal, que defendida que o embargo deveria ser mantido até o trânsito em julgado do processo e que a apreensão da aeronave interessaria à instrução criminal.
A ação tem como réu o piloto Rogério Almeida Antunes, ex-funcionário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que havia sido indicado para o cargo pelo deputado estadual Gustavo Perrella (SDD), filho do senador e um dos sócios da empresa na qual a aeronave está registrada.
Em janeiro, a Justiça Federal no Espírito havia indeferido pedido da defesa e determinado que o helicóptero modelo Robinson 66 ficasse à disposição do governo estadual e da Polícia Federal. Em decisão cautelar, o juiz Marcus Vinícius Figueiredo de Oliveira Costa entendeu que o confisco do bem atendia ao "interesse público no combate ao narcotráfico". FONTER7NOTICIAS E http://www.estadao.com.br/

Morte na colombo em Sarandi!

O acidente caminhão x ciclista aconteceu na tarde desta terça-feira (19) na  Rodovia BR-376 à Avenida Colombo no Jardim Verão em Sarandi. Segundo informações de populares que dois homens corriam atrás do ciclista nas proximidades de uma passarela quando o homem com sua bicicleta entrou na rodovia sem olhar e foi atropelado por um caminhão Volkswagen, modelo 13-170 de Presidente Castelo Branco. O Siate foi chamado mas ao chegar no local do atropelamento o homem de aproximadamente 25 anos, já estava sem vida e não foi 
identificado pela autoridades. Após os procedimentos de perícia o corpo foi encaminhado ao IML de Maringá.




FONTE CAMERA REC 

UEM Cemitério de Obras!



Nos últimos anos várias foram as reportagens veiculadas na imprensa sobre o atraso de repasse de dinheiro para as empreiteiras que realizam obras para o governo do estado. Em Maringá, além da duplicação até Paiçandu e o novo prédio do IML, temos o exemplo da má gestão do governo Beto Richa dentro da UEM, onde hoje inclusive se realizam eleições. Em toda a sua história, a Universidade Estadual de Maringá nunca passou por uma fase tão ruim como esta. Contabiliza-se extraoficialmente 14 obras paradas no campus-sede, algumas há vários anos.Fonte Angelo Rigon



segunda-feira, 18 de agosto de 2014

As pedras de Davi mudaram de mãos, agora são os palestinos que as atiram!

Saramago! 
"Israel ainda terá muito que aprender se não é capaz de compreender as razões que podem levar um ser humano a transformar-se numa bomba." 
"Pergunto-me se esses judeus que morreram nos campos de concentração nazistas, esses que foram perseguidos ao longo da História, esses que foram trucidados nos pogrons, esses que apodreceram nos guetos, pergunto-me se essa imensa multidão de infelizes não sentiria vergonha pelos atos infames que os seus descendentes vêm cometendo. Pergunto-me se o fato de terem sofrido tanto não seria a melhor causa para não fazerem sofrer os outros.
As pedras de Davi mudaram de mãos, agora são os palestinos que as atiram. Golias está do outro lado, armado e equipado como nunca se viu soldado algum na história das guerras, salvo, claro está, o amigo americano. Ah, sim, as horrendas matanças de civis causadas pelos chamados terroristas suicidas... Horrendas, sim, sem dúvida, condenáveis, sim, sem dúvida. Mas Israel ainda terá muito que aprender se não é capaz de compreender as razões que podem levar um ser humano a transformar-se numa bomba." (José Saramago)