quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Vereador Bianco em 1º Sessão da Câmara

Nesta ultima segunda-feira dia 16/02/2009, foi realizada a primeira sessão da câmara municipal de Sarandi, como era a primeira sessão ainda não foi colocado em discussão nenhum projeto de lei, só requerimentos e indicações.O vereador Bianco colocou em discussão um requerimento ao Prefeito, solicitando que informe a está Casa de Leis, se existe previsão de providenciar um local adequado para o armazenamento de pneus velhos da cidade, até a destinação final dos mesmos, que foi aprovado por unanimidade, assim como os demais requerimentos e indicações.

5 comentários:

Anônimo disse...

Caro Bianco, a situação dos moradores de Sarandi que utilizam o serviço de transporte coletivo no terminal rodoviário em Maringá é precária e assustadora. Com a interdição do antigo terminal, os sarandienses foram jogados ao relento, sujeitos a violência. Principalmente a noite, qdo traficantes e bandidos permanecem lá como os "reis" do pedaço, inibindo e ameaçando trabalhadores e estudantes. Esta semana um estudante foi agredido e assaltado por dois traficantes a noite, nenhum guarda ou policial estava no local.Já passou da hora das autoridades sarandienses tomarem uma providência no sentido de cobrar segurança.
E, espero que o seu mandato encampe esta luta o mais rápido possível.

Anônimo disse...

Solicito q a pauta da Sessão seja informada e como o Bianco votou em cada item. Tem muito boato e o cidadão não sabe o q é verdade, cabe ao Blog informar.

Virtù disse...

É necessário que a equipe de comunicação do mandato do Bianco reveja as funções dos espaços virtuais, pois não respondem e-mails e não publicam comentários. Será que há sensores neste mandato. Não quero acreditar. Saravá!

Anônimo disse...

É verdade q o Bianco votou a favor de doação de terreno p igreja? E qto a mudança de horário das Sessões, o Bianco não vai defender esta bandeira?

Anônimo disse...

Jah tem um projeto protocolado sobre mudança de horário para ás 19:45 hs.

Autor. Bianco

Co-autores Nildão, Reginaldo e Nito.